RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio LawDue Diligence tributária: perspectivas para o futuro do negócio

Due Diligence tributária: perspectivas para o futuro do negócio

Aprenda sobre a importância da Due Diligence

A perspectiva de crescimento da sua empresa não necessariamente está vinculada a um crescimento orgânico, onde você será o CEO para sempre.

Muitas empresas têm a possibilidade de serem adquiridas por outras, seja uma concorrência, uma multinacional que quer entrar no mercado local, ou algum grupo econômico tentando diversificar a economia.

Para essas situações, o mais comum é que a empresa compradora realize uma Due Diligence, o que em português seria traduzido como diligência prévia, e dependendo do sucesso da mesma é como pode ser o futuro do seu negócio.

Nesse artigo apresentaremos algumas das principais peculiaridades que tem esse processo, que comumente é confundido com uma auditoría, mas como comentamos, o due diligence representa uma oportunidade de crescimento do seu negócio.

O Due Diligence melhora a confiança da sua empresa

O processo de Due Diligence não é uma auditoria, mas com certeza vai ajudar a sua empresa deixar a documentação e os processos muito mais organizados. Os principais são os financeiros administrativos, mas também tem os que se relacionam aos processos de vendas, de atendimento ao cliente, entre outros.

Enxergue esse processo como uma possibilidade de que sua empresa seja o mais transparente possível para o novo parceiro/comprador e com o resto do mercado também.

Prepare hoje sua empresa para um due diligence

Você pode estar preparando sua empresa para uma possível aquisição de um parceiro, ou talvez essa oportunidade surja de um concorrente. O importante é você ter tudo corretamente ordenado e preparado para essa possível oportunidade.

Já aconteceu muitas vezes  negócios não serem fechados que um por  falta de documentação por parte do novo parceiro. Essas são as opções que se devem considerar em um negócio a futuro.

Exija o Due Dilligence se você está no processo de aquisição de uma empresa

Atualmente, a legislação brasileira, a diferença de muitos outros países, não exige um Due Dilligence para fazer a aquisição de uma nova empresa. Mesmo assim, como o procedimento é tão antigo é praticamente uma rotina em todas as empresas.

No único caso no qual a legislação o exige é com a Lei de Licitações (Lei 8.666/93), que funciona para empresas que desejam trabalhar com o Poder Público.

Portanto, se você é de uma empresa privada e está nos seus planos uma expansão, ou compra de um concorrente, exija o procedimento, pois com certeza trará benefícios para sua sociedade.

Compras de empresas acontecem o tempo todo, por exemplo a CVC adquiriu a maioria das ações do grupo de turismo Trend por R$258 milhões no ano de 2017.

Para esse tipo de transações, o Due Diligence é praticamente uma obviedade, e apesar de não ser uma auditoria completa, ela deve demonstrar a situação real da empresa, para que quem está fazendo a aquisição saiba com o que vai se enfrentar.

Manual da gestão tributária guia prático para empresários

Pense na Due Diligence como um plus no processo de venda

Segundo vários estudos, quase 50% das aquisições acabam na hora de realizar a Due Diligence, por falta de documentação ou processos internos pouco claros.

A maioria das empresas acredita que a documentação (a falta dela) ou processo internos sem ser corretamente realizados, dívidas ao fisco, entre outros, serão esquecidos no momento de fazer a oferta final ao novo comprador.

Por isso, muitos empresários tentam evitar ao máximo esse processo, ou acreditam que a realização do mesmo pode abaratar o valor da empresa. Lembre, se você já tem seus processos corretamente organizados e estruturados, o Due Diligence pode até aumentar o valor da sua empresa.

Comunicação integrada é o futuro da Due Diligence

Já falamos muito sobre documentação, regimes tributários, entre outros. Mas uma vez que o processo está rodando, tem que se pensar que por detrás de toda essa papelada se encontram pessoas que devem se comunicar de forma fluída para que o processo funcione corretamente na nova empresa fusionada.

Aconteceu muitas vezes, no momento em que os novos parceiros começaram a trabalhar, a falta de sistemas integrados, os idiomas diferentes (nos casos de multinacionais adquirindo empresas locais), as formas de trabalhar, entre outros, fizeram com que o processo de integração pós Due Diligence fracassasse.

Deve-se entender que todos os trâmites devem incluir a parte humana, e sistêmica de integração para que a empresa continue funcionando, já com os novos ativos adquiridos.

Como fazer uma due diligence tributária?

A Due Diligence tributária consiste em um processo bimestral que permite um maior controle de todos os processos financeiros e tributários da sua empresa, permitindo assim uma maior assertividade para encarar todos os processos em aberto que ela tem.

Todo esse processo deve ser realizado por uma empresa terceirizada de preferência, que possua as ferramentas necessárias para o controle de toda a documentação, como também a experiência no que se refere ao tratamento das processos judiciais em aberto.

A principal vantagem que você obterá (além de ter sua documentação em dia) é poder reformular as bases de cálculos dos tributos constantes na CDA para apurar eventuais inconsistências, gerando assim elementos técnicos necessários para revisão judicial ou administrativa dos débitos tributários da sua empresa.

Afinal, a due diligence é para minha empresa?

Sim, a due diligence pode ser aplicado a empresas de qualquer tipo, seja financeira, multinacional, entre muitos outras.

Lembre que esse processo serve para que sejam analisados todos os processos da sua empresa, não somente aspectos jurídicos da estrutura dessa organização, como também fatores trabalhistas, contábeis, financeiros, entre outros.

Conclusão

O mercado de fusões e aquisições movimentam quase 300 bilhões de reais por ano só no Brasil. Isso significa que o potencial da sua empresa ser adquirida ou fusionar com outra é muito alto e não é uma negociação que possa ser realizada de um dia para o outro.

Como comentamos nesse artigo, você precisará de diferentes especialistas, não só da parte administrativa contábil, mas também jurídica, de recursos humanos, e outros, para poder apresentar toda a documentação em dia.

Se você começa a aplicar o due diligence tributário desde agora, a possibilidade de fechar um negócio de fusão ou parceria com certeza será maior e sem a necessidade de “diminuição” do preço de negociação por causa das irregularidades apresentadas.

Solicite uma consultoria jurídico-tributária e aplique o processo de due diligence hoje na sua empresa!


Jose Carlos Braga Monteiro

Detentor das empresas Studio Fiscal, Studio Law, Studio Corporate, Studio Brokers ,E-Fiscal, E-contábil e Studio Energy o Grupo Studio apresenta serviços corporativos inteligentes com uma expertise de mais de 20 anos. Presente em todo o território nacional através de seus franqueados e aliançados, o Grupo apresenta uma grande sinergia quanto aos seus modelos de negócio.