RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio FiscalVeja como a inteligência artificial está sendo usada na área tributária

Veja como a inteligência artificial está sendo usada na área tributária

Os processos produtivos em todas as áreas estão se transformando graças às mudanças tecnológicas. Hoje, uma série de sistemas e aplicativos facilitam desde as transações bancárias que realizamos diariamente aos processos mais minuciosos de análises tributárias, o que só é possível graças ao uso da inteligência artificial.

São recursos que contribuem, cada vez mais, para a realização de atividades burocráticas com mais agilidade e menor incidência de riscos. Por isso, vale a pena entender melhor como a inteligência artificial está revolucionando a área tributária. Confira no nosso post!

O que é inteligência artificial?

A Inteligência Artificial (IA) é uma área da ciência da computação dedicada a desenvolver sistemas capazes de simular a capacidade intelectual do ser humano. São, portanto, dispositivos que conseguem perceber a realidade, raciocinar e tomar decisões para resolver problemas.

Quando pensamos em inteligência artificial, a primeira relação que fazemos é com robôs e, de fato, são eles a grande expressão dessa tecnologia. Hoje, os robôs estão presentes em sistemas até pouco tempo inimagináveis, entre eles está a área de investimentos.

Mas a inteligência artificial não se limita apenas a robótica. Ela está presente, ainda, em jogos, softwares, aplicativos, sistemas de reconhecimento, entre outros dispositivos.

Quais são as mudanças promovidas pela IA no setor tributário?

Na área tributária, a inteligência artificial faz parte de sistemas de gestão e plataformas digitais. São programas que facilitam a realização de lançamentos fiscais, conferências, escrituração, entre outros procedimentos.

Para o segmento fiscal e tributário, a inteligência artificial é capaz de gerar uma série de vantagens. Vamos detalhar as 4 principais!

1. Automatização de processos

As empresas brasileiras gastam quase duas mil horas por ano apenas com o cumprimento de obrigações acessórias. Isso acontece porque temos um sistema tributário complexo e que requer diferentes tipos de registros e lançamentos. Quanto mais manual for a realização desses processos, mais tempo e pessoal terão que ser dedicados a eles.

É aí que entra a principal vantagem da inteligência artificial: a automação de processos. O uso de robôs e programas baseados em IA permite que boa parte das tarefas seja realizada autonomamente pelos sistemas, tornando desnecessário que a mesma informação seja processada diversas vezes pela mesma pessoa.

2. Redução de erros

A inteligência artificial é ainda uma das maneiras mais eficientes de reduzir erros nas empresas. Isso porque, além de garantir a automação de processos, o que evita a ocorrência de falhas humanas, os sistemas baseados em inteligência artificial também são capazes de identificar inconsistências e até de corrigi-los, em alguns casos. Só o fato de fazer o alerta já evita que os erros se propaguem.

3. Armazenamento de dados

A automação torna mais ágeis o armazenamento e a busca de informações. Hoje, já não é mais necessário arquivar documentos físicos. Com a inteligência artificial, a localização de arquivos eletrônicos é ainda mais aprimorada e segura.

4. Interação com órgãos do governo

A inteligência artificial é um recurso cada vez mais buscado pelo poder público, sendo utilizado, sobretudo, na conferência de informações fiscais e no cruzamento de dados. Hoje, a análise das informações prestadas pelos contribuintes é mais rápida.

O avanço é crescente. Desde 2018, a Receita Federal iniciou um projeto piloto de uso da inteligência artificial para agilizar o julgamento de processos tributários. O mecanismo está sendo adotado em casos de baixa complexidade e consiste principalmente na análise de Notas Fiscais Eletrônicas (NFe).

Como você pode perceber, a inteligência artificial é mais um passo nos avanços promovidos pela quarta revolução tecnológica. Acompanhe a evolução desses processos assinando a nossa newsletter.


Redação Grupo Studio