RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioVarejoSérie Estudo Tributário: quanto os revendedores pagam de imposto?

Série Estudo Tributário: quanto os revendedores pagam de imposto?

Trabalhar com a revenda de produtos pode ser uma excelente oportunidade de negócios para muitos brasileiros. Afinal, são inúmeras opções de artigos que podem ser revendidos, o que permite que o empreendedor possa escolher atuar com um ramo que mais se identifique.

Além disso, esse mercado é vantajoso por não requerer a produção dos bens que serão vendidos. Isso quer dizer que o empresário não precisa investir em maquinários industriais e matérias-primas, algo que costuma ser muito caro na hora de abrir um negócio. Basta escolher o tipo de mercadoria a ser revendida e começar a estruturar a empresa a partir daí.

Outro benefício é a possibilidade de não manter grandes estoques, mais um fator que pode ser bastante custoso para um empreendedor. Assim, é possível trabalhar em espaços menores, acarretando menos despesas com aluguéis e manutenção.

Contudo, apesar das vantagens do setor, os revendedores ainda podem enfrentar alguns desafios na hora de gerenciar o negócio. Um dos pontos que mais geram dificuldades são as inúmeras burocracias tributárias brasileiras.

Por isso, neste artigo vamos mostrar quanto os revendedores pagam de imposto e como é possível reduzir a carga fiscal de maneira totalmente legal, melhorando as finanças do empreendimento. Confira!

Quanto os revendedores pagam de imposto?

A Studio Fiscal e a E-Fiscal, bandeiras do Grupo Studio voltadas para os serviços de revisão e planejamento tributários, realizaram recentemente um Estudo Tributário em parceria. 

Por meio dele, é possível verificar quais foram os principais segmentos atendidos entre 2013 e 2019, quantos clientes houve em cada um deles, o valor máximo e o valor médio recuperado na forma de créditos fiscais pelos clientes. 

Assim, podemos observar quanto as empresas de cada segmento estão pagando a mais em impostos a cada ano, ou seja, quanto é pago de forma excedente e poderia ser recuperado por meio de um processo estruturado de planejamento fiscal. 

A E-Fiscal, a qual trabalha com empresas que aderiram ao regime tributário do Simples Nacional, atendeu 85 clientes do ramo de revendas. Entre eles, o valor máximo recuperado em créditos fiscais foi de R$2.976.997,87, sendo que a média por cliente ficou em R$35.023,50.

Já a Studio Fiscal, que atende clientes optantes pelos regimes de Lucro Presumido e Lucro Real, não trabalhou com revendedores durante o período analisado pelo Estudo Tributário.

Quais impostos incidem sobre os revendedores?

A carga de impostos pode sofrer alterações de acordo com o regime tributário ao qual a empresa aderiu, com o valor de faturamento anual e com a atividade exercida por ela. 

No caso de quem optou pelo Simples Nacional, por exemplo, todos os tributos são quitados por meio de uma guia única, a chamada DAS, sigla para Documento de Arrecadação do Simples Nacional. 

Esse regime, regulado pelo Governo Federal em 2007, é especialmente vantajoso para empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano e que se enquadram na lista de atividades autorizadas.

Já as instituições que trabalham com Lucro Real ou Lucro Presumido precisam pagar cada impostos separadamente, sendo que alguns deles só incidem a partir de uma determinada faixa de lucro ou de estimativa de lucro, entre outras variantes. 

Em geral, a alíquota que incide sobre os revendedores varia entre 4% a 19%. Confira quais são os principais impostos que incorrem sobre essa categoria:

ICMS 

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços é de âmbito estadual cobrado sempre que alguma mercadoria circula, ou seja, quando há venda de algum produto.

Cofins

A Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, cobrada sobre vendas, é destinada a financiar programas de assistência social para a população brasileira.

PIS

O Programa de Integração Social é um tributo federal voltado para o financiamento do seguro desemprego dos brasileiros, além de abonos salariais. 

IRPJ

Imposto de Renda de Pessoa Jurídica, tributo obrigatório para todas as empresas do país, é recolhido com base no faturamento do negócio.

IPI

Imposto sobre Produtos Industrializados, é recolhido na comercialização ou importação de mercadorias cuja fabricação aconteceu por meio de indústria.

CSLL

A Contribuição Social sobre o Lucro Líquido é retida direto na fonte, ou seja, no momento da venda. Esse imposto destina-se ao pagamento de programas sociais do governo federal.

No caso de revendedores, geralmente não há a cobrança de Imposto Sobre Serviços (ISS), dada à natureza das atividades de revenda. 

Planejamento tributário para revendedores

Como você pode perceber, os revendedores lidam com uma alta carga tributária, que pode atrapalhar o andamento das finanças do negócio. Muitos acabam pagando mais impostos do que é devido, gastando mais do que o necessário e desequilibrando os lucros da empresa.

Por isso, além de tomar conhecimento de quanto os revendedores pagam de imposto e quais são eles, é essencial buscar uma forma de reorganizar as questões fiscais da empresa, buscando as melhores alternativas para o empreendimento.

E é exatamente nesse ponto que se destaca a importância de contar com o serviço de um planejador fiscal. Esse profissional é responsável por analisar a atividade da empresa e os tributos que têm incidido sobre ela de acordo com o seu ramo de atuação. 

A partir dessa observação, ele pode elaborar estratégias para que o empreendimento gaste menos dinheiro com impostos, como uma possível re-enquadração de regime tributário. 

Uma das estratégias mais efetivas e utilizadas costuma ser a recuperação de créditos fiscais. Foi por meio desse procedimento que os clientes da E-Fiscal conseguiram reaver até quase R$ 3 milhões de reais em impostos pagos indevidamente. 

Basicamente, o profissional identifica quanto foi pago a mais em tributos e pede uma restituição para o Governo. Todos esses processos são feitos de forma totalmente legal, em acordo com a Constituição Brasileira. Assim, não existe risco de ser acusado de sonegação ou evasão fiscal, ou de pagar multas tributárias.

Quer saber mais sobre o planejamento fiscal para revendedores e otimizar as questões tributárias na sua empresa? Solicite um contato da E-Fiscal! São mais de 2 mil clientes atendidos em 20 anos de mercado, com um benefício médio de R$ 22.400 por empresa!


SUGESTÃO DE ARTIGOS

Investimento no Brasil deve ser ampliado em 2020

Planejamento tributário envolve riscos e oportunidades

Simples Nacional: saiba sobre o parcelamento de débitos

SUGESTÃO DE VÍDEOS

Depoimento Revisão Tributária | Funilaria Brasil | Autopeças

Riscos de uma classificação fiscal inadequada

 


Redação Grupo Studio