RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioStudio EnergyTecnologia cripto: possibilidade de um futuro sustentável

Tecnologia cripto: possibilidade de um futuro sustentável

Em uma publicação feita no blog de Insights da Ripple, ocorreu uma discussão sobre o impacto ambiental resultando da paralisação econômica.

O isolamento social impulsionou uma redução de 25% na demanda semanal por energia. A demanda por carvão caiu cerca de 8% em 2020. Alguns dados revelam que a adesão comercial de tecnologias disparou o equivalente a cinco anos em somente oito dias devido aos efeitos causados pela pandemia do novo coronavírus.

Para a Ripple essa migração e adesão frenética da tecnologia digital devem continuar já que diversas empresas estão considerando adotar o home office de forma definitiva. Para isso, é necessário depender de tecnologias mais limpas e fontes renováveis.

Todavia, o grande uso de eletricidade pode retroceder os benefícios ambientais gerados durante a pandemia e voltarmos ao marco zero em temos dos progressos ligados à sustentabilidade.

Um futuro completamente digital pode depender de ativos para pagamento digital como criptoativos. Porém, a questão da mineração de bitcoin pode impedir esse ambiente global: em média, uma única transação de bitcoin consome 700 kWh de eletricidade. É uma grande emissão de carbono quando você considera que uma única transação usando moeda fiduciária, como cédulas, consome apenas 0,044 kWh.

Entretanto, a Ripple também discute sobre os danos ambientais causados pela impressão de dinheiro, como desmatamento, assim como as emissões de gases de efeito estufa pelo transporte e a eletricidade que os bancos consumem para armazenar esse dinheiro.

Muitos alegam que cripto é uma maneira de pagamento bem sustentável: XRP é um exemplo de ativo sustentável afinal, diferente do bitcoin e do ethr, só consome 0,0079 kWh por transação.

Outro ponto positivo é que ambas as criptomoedas precisam ser mineradas, o que resulta no grande consumo elétrico. Assim, todos os tokens XRP já foram emitidos, ou seja, não é necessária energia elétrica para criar ainda mais ativos.

Assim sendo, a Ripple disse que:  conforme nos preparamos para aderir a um futuro digital alimentado por energia elétrica e o verdadeiro crescimento econômico prometido por ele, devemos considerar o impacto que esse futuro terá no meio ambiente.

Fonte: InfoMoney


Redação Grupo Studio