RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioStudio Energy5 dicas para economizar energia no comércio atacadista

5 dicas para economizar energia no comércio atacadista

O comércio atacadista está reagindo à crise econômica. No mês de julho, as vendas do setor apresentaram um aumento de 4,6% em comparação com o mesmo período do ano passado – os dados são do Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Apesar desse dado positivo, outra variação não é tão favorável às empresas do meio: o reajuste médio de 5,2% na conta de luz no país – em alguns estados, o acréscimo foi acima da inflação.

Para se ter ideia, o Brasil está em sexto lugar no ranking global de custo energético – o preço de R$ 402,26 para cada MW-h é 46% maior que a média mundial. Tais dados do levantamento da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) são perfeitos para explicar por que a energia é a segunda maior despesa do setor. Segundo estudo da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), somente os gastos com folha de pagamento ficam à frente. Dessa forma, a adoção de políticas de redução em seu consumo se torna cada vez mais importante para garantir a competitividade da empresa.

1) Aproveitamento de iluminação e ventilação naturais

Ao analisar onde podemos economizar energia na empresa, primeiro é necessário entender quais são os principais consumidores dela. Tratam-se da iluminação do ambiente e a geração de frio – tanto para ar-condicionado, quanto para refrigeração de itens perecíveis.

Começando pela iluminação, é imprescindível saber utilizá-la de maneira inteligente. Trata-se de uma solução eficiente de minimizar os gastos – ou, melhor dizendo, impedir desperdício energético. Para fazê-lo é necessário aproveitar a luminosidade natural a fim de garantir o uso de menos equipamentos e, consequentemente, um consumo menor.

Desta forma, considere a variação da luz solar durante a operação do estabelecimento e adapte o sistema de iluminação para complementá-la. Tal adequação impedirá o uso de luminosidade excessiva e desnecessária em nos períodos mais claros do dia. Tenha em mente também a utilidade de lâmpadas dimerizáveis por elas permitirem controle de intensidade e, consequentemente, consumo menor – aliada à automatização de seu uso.

As condições naturais também devem ser consideradas na ventilação do estabelecimento. Deve-se evitar o uso de equipamentos de ar-condicionado ao máximo e acioná-los somente quando estritamente necessário, além de posicioná-los estrategicamente e de maneira que seu rendimento seja maximizado. Trata-se de uma questão que trará maior conforto térmico ao ambiente e economia de energia. Também é importante considerar a importância de utilizar aparelhos modernos e realizar sua manutenção – assim, a emissão de gases também será reduzida.

2) Uso de luminárias LED

Além de explorar a iluminação natural, outra medida importante para a economia de energia no estabelecimento é o uso de luminárias LED. Tratam-se das lâmpadas mais eficientes do mercado e, além de apresentarem menor consumo energético, possuem maior vida útil, reduzindo o número de trocas drasticamente e permitindo gastos menores na manutenção.

Ao compará-las com outras opções, podemos constatar a grande diferença no gasto. Uma lâmpada incandescente de 60W consome por hora o mesmo que uma LED de 4,5W – oferecendo uma economia de 55,5W. Além disso, possuem uma durabilidade de até 50 mil horas, o que representa quatro anos de uso contínuo. Outra diferença é o fato de tais luminárias não queimarem quando sua vida útil se encerra, tendo seu brilho lentamente dissipado.

Também é importante focar na instalação e manutenção destas lâmpadas, pois não fazê-lo corretamente causará um deterioração mais rápido, diminuindo a economia. É necessário verificar se ela está ligada a um retificador ou controlador de má qualidade, pois estes podem alimentá-las de maneira errônea e afetar o rendimento e vida útil do item.

Além da maior eficácia proporcionada pelas luminárias LED, é importante ressaltar o fato de elas gerarem menos calor e fazerem com que o sistema de refrigeração precise de menos energia para manter a temperatura do ambiente, gerando ainda mais economia. Outra questão importante de se observar é o fato de sua exposição a fontes de calor causarem menor durabilidade.

3) Manutenção de equipamentos e utilização de gases eficientes na refrigeração

Outra dica essencial para a maximizar a eficiência energética de seu estabelecimento é a importância de sempre realizar a manutenção de todos os equipamentos utilizados. Tal prática sempre permitirá o melhor rendimento da aparelhagem e os impedirá de consumir mais energia para funcionarem. Essa prática também garante a que a operação não seja muito impactada por eventuais falhas técnicas e minimiza desperdício de produtos perecíveis.

Como mencionado anteriormente, a refrigeração está entre os principais consumidores de energia do comércio atacadista. Deve-se ter cuidado especial também com os gases utilizados nos equipamentos por eles serem fundamentais para manter a temperatura correta – em caso de vazamentos e má instalação, há perda na eficiência. Vale ressaltar o fato de fluídos como R22 e R404A estarem sendo substituídos por CO2 devido à sua maior eficiência e menor agressividade ao meio ambiente.

4) Revisão da instalação de energia

Já executa todas as dicas já mencionadas e a conta de luz de seu estabelecimento continua alta? Pode estar relacionado à instalação elétrica e o desgaste gradual da fiação e componentes utilizados. Além de representar um risco maior à segurança do local e integridade dos equipamentos devido à maior chance de curto circuito e incêndios, existe a possibilidade de ser uma rede projetada a outra demanda energética. Desta forma, haverá sobrecarga e um consumo acima do necessário – é possível reduzir os gastos com energia em até 40% ao realizar a revitalização.

5) Adoção de painéis fotovoltaicos

Outra possibilidade de reduzir os gastos energéticos em seu estabelecimento é o uso de energia solar. Trata-se de uma fonte cujo uso está em alta e, segundo projeção da Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar), deve ter um aumento de 44% neste ano – não é à toa que bateu o recorde de preço no último leilão promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Segundo estudo realizado pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF), é uma tendência mundial: a fonte representará 48% da geração de energia global em 2050, com 77% dos U$ 13,3 trilhões a serem investidos.

Mas por que é uma solução tão interessante? Além de representar uma opção sustentável e ser melhor ao meio ambiente, a instalação de painéis fotovoltaicos faz com que o próprio empreendimento gere energia, retirando da rede somente o que faltar para suprir a demanda. Existe até a possibilidade de o sistema ocasionar uma geração superior ao consumo do estabelecimento, transformando-o em créditos energéticos a serem utilizados em até 60 meses. Trata-se de uma solução que trará retorno em longo prazo e cuja economia tornará a empresa mais competitiva financeiramente.

A Studio Energy oferece soluções de eficiência energética para a sua empresa

Todas as dicas contempladas neste artigo foram formuladas pela Studio Energy, braço do Grupo Studio com o foco em reduzir os gastos energéticos do cliente e auxiliá-lo na adoção de opções sustentáveis. Tanto a revisão da instalação, quanto a implementação de estruturas solares estão entre os serviços oferecidos.

Nosso método é responsável por analisar a necessidade do cliente e adequá-lo de forma a reduzir até 95% na conta de luz. Desta forma, utilizamos nossa experiência de 20 anos no mercado para otimizar a eficiência energética de sua empresa. Sem contar na importância da minimização de gastos no bom rendimento do negócio. Existe diferencial mais importante?


Leia mais:

Assista também:


Redação Grupo Studio