RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioStudio EnergyCCEE aponta que consumo de energia aumentou no terceiro trimestre

CCEE aponta que consumo de energia aumentou no terceiro trimestre

A expectativa que as empresas do setor elétrico vinham compartilhando sobre a retomada do consumo foi confirmada. Segundo dados levantados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica houve um aumento de aproximadamente 2% no Brasil no terceiro trimestre em comparação ao mesmo período do ano passado.

Dados de julho a setembro apontam que o período foi o primeiro de 2020 a registrar crescimento do resultado no comparativo anual. Todavia, para o ano, o panorama ainda é que queda, de 2,9%.

Ainda segundo a entidade, a retomada acontece em quase todos os setores de atividades que negociam seu fornecimento no mercado livre, exceto os segmentos de veículos, com redução de 8,7%, transportes de 7,9% e extração de minerais metálicos de 0,7%. No sentido contrário, o destaque ficou por conta do crescimento apresentado pelos setores de saneamento de 32%, comércio de 19,9% e bebidas de 14,9%. Os valores já consideram a migração de consumidores do mercado regulado.

Consistente com o aumento do consumo de energia, a geração de energia no terceiro trimestre também aumentou cerca de 2% em relação a 2019. A produção das hidrelétricas aumentou 14,7% em relação ao mesmo período do ano passado. A geração de energia eólica e solar fotovoltaica também cresceram 10% e 26,4%, respectivamente. Apenas as termelétricas diminuíram 36,2% entre julho e agosto.

Considerando apenas o mês setembro, o consumo e a geração de energia aumentaram 4% e 4,1%, respectivamente. De acordo com o boletim InfoMercado Mensal,  no mês, a produção somou 66.388 MW médios, com aumento em quase todas as fontes, exceto das usinas térmicas, que tiveram queda de 35,1%. As hidráulicas, por sua vez, apresentaram uma alta de 17,2%.

Os ambientes de comercialização regulada e livre apontaram crescimento de 1,4% e 10%, respectivamente. Ao se excluir o efeito da migração dos consumidores, o ACR apresenta aumento de 3,8% e o ACL demonstra elevação de 4,7%.

A principais variáveis que influenciaram o crescimento foram a produção industrial medida pelo IBGE, que registrou alta de 2,6% em relação ao mês de agosto e as temperaturas máximas que estiveram acima do verificado no mesmo período em 2019 na maior parte dos submercados Sudeste/Centro-Oeste e Sul.

Fonte: Canal Energia


Redação Grupo Studio