RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioStudio EnergyÁsia vai liderar na fabricação de baterias de células de íon de lítio

Ásia vai liderar na fabricação de baterias de células de íon de lítio

Um relatório feito pela Wood Mackenzie revelou que a Ásia terá os maiores fabricantes do mercado de baterias de células de íon de lítio. A consultoria destaca a CATL, LG Chem, BYD, SK Innovation na liderança da corrida, com os europeus em seguida. O levantamento mostra ainda que a capacidade global de produção de células pode aumentar quatro vezes para chegar a 1,3 TWh em 2030 na comparação com 2019.

Mitalee Gupta, analista sênior da Wood Mackenzie, destaca que a capacidade de fabricação na Ásia-Pacífico é responsável por 80% da carteira de capacidade global. A região vai continuar como líder na produção de baterias na próxima década, sendo que a China domina esse mercado e deve dobrar sua capacidade de 345 GWh em 2020 para mais de 800 GWh até 2030.

Segundo o levantamento, a capacidade total é atribuída a 119 instalações de fabricação de baterias que estão operacionais, em construção ou anunciadas por mais de 50 fornecedores. Além do exponente crescimento dos fornecedores locais na China, fabricantes de outros países como LG Chem, Samsung SDI e SK Innovation também adicionaram novas linhas.

A respeito dos países europeus, o estudo diz que embora responda por somente 7% da capacidade global, está prestes a aumentar de maneira relevante nos próximos anos e acabará chegando à marca de 25% da capacidade mundial da carteira de projeto em 2030. Motivado pelo aumento da demanda por baterias para veículos elétricos e armazenamento de energia, os fabricantes asiáticos estão apostando em novas fábricas na Europa.

A América vai manter a participação na próxima década. A capacidade da carteira está concentrada nos Estados Unidos e a  operacional é liderada pela Gigafactory da Tesla em Nevada. Já na química das baterias, NMC é a tecnologia dominante em instalações operacionais, seguida por LFP.

Fonte: Canal Energia


Redação Grupo Studio