RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioVarejoBolsa: cresce o número de acionistas pessoas físicas

Bolsa: cresce o número de acionistas pessoas físicas

O número crescente de acionistas pessoas físicas é uma realidade que as empresas com ações negociadas na B3 estão aprendendo a lidar. Em 2019, o total de investidores que investe diretamente nesse segmento dobrou, montando 1,68 milhão.

As companhias que receberam esse número significativo de novos investidores, já procuram qual a melhor maneira de atendê-los, e em algumas situações, reforçam os canais de comunicação. Entre as empresas estão as que registraram desempenho de destaque do Ibovespa em 2019.

Em busca de maior retorno em suas aplicações, essas pessoas físicas chegaram até à Bolsa. Um ambiente de baixa taxa de juros – a Selic finalizou 2019 em 4,5 ao ano. O reflexo desse novo panorama sobre cada empresa dependeu de fatores específicos às suas operações.

A conhecida Via Varejo, proprietária das marcas Casas Bahia e Ponto Frio, partiu dos poucos mais de 25 mil investidores pessoas físicas em 2018, para finalizar 2019 com 122.239, melhor dizendo, quase cem mil em um ano.

O Grupo Pão de Açúcar, do francês Casino, controlou a Via Varejo até junho de 2019. Essa parcela foi vendida para a família Klein, que fundou as Casa Bahia e fundos administrados pela XP.

Gabriel Succar, gerente de relações com investidores da empresa, atribui esse crescimento ao cenário macroeconômico, em que os juros baixos empurraram os investidores para opções de maior risco, mas também às transformações ocorridas na empresa.

Para melhor atender ao novo público na base de acionistas, a Via Varejo articula um plano de dar atendimento exclusivo às pessoas físicas, que podem não estar habituadas à linguagem tradicional de divulgação de informações por parte das empresas com ações negociadas em Bolsa. Inclusive, a área de relações com investidores ganhou um reforço na equipe, foi contratado um profissional dedicado a essa nova demanda.

A Qualicorp também contou com uma expansão da base de acionistas expressiva. A empresa de administração de planos de saúde registrou a maior valorização do ano entre as ações que fazem parte da Ibovespa: 243%. Esse aumento foi acompanhado por um número significativo de pessoas físicas: a soma total passou de 20.260, em 2018, para 30.123, no final de 2019.

A diretora de relações com investidores da Qualicorp, Grace Cury Tourinho, acredita que a política de distribuição de dividendos da empresa contribuiu para a atração das pessoas físicas. Segundo ela, em 2019, os proventos representaram para o acionista um percentual do lucro distribuído em relação ao valor da ação de 14,2%.

As ações do BTG foram as que registraram a segunda maior valorização entre os papéis do Ibovespa, com ganhos de 235%. O aumento da base de acionistas pessoas físicas, no entanto, foi ainda maior: 864%, chegando a 12.248 investidores. No caso da JBS, que registrou valorização de 123%, o aumento da base de acionistas foi mais tímido, de 8.977 para 9.826, uma alta de 10%.

Fonte: Info Money


Redação Grupo Studio