RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio BrokersFusões e aquisições de empresas: entenda o termo M&A

Fusões e aquisições de empresas: entenda o termo M&A

M&A é uma sigla que remete a Mergers and Aquisitions, em português podemos traduzir para F&A – Fusões e Aquisições. Esse termo se refere ao processo de consolidação das empresas podendo colaborar com o crescimento e permitir que ela mude a natureza de seu negócio ou posição competitiva.

É comum que muitos empreendedores possuam a crença de que o processo M&A é algo somente para grandes empresas, que faturam milhões de dólares, ou que esse tipo de transação funciona só para as grandes empresas que buscam comprar empresas menores, mas na realidade, o processo de fusão ou aquisição deve fazer parte do dia a dia do empresário como uma forma de estratégia para a melhoria do fluxo operacional.

F&A, em sua maioria, vem relacionada com as estratégias de mercado, o ganho de eficiência e recursos, oportunidades de comprar uma empresa a um valor inferior e a necessidade de obter sinergia.

Além disso, pequenas e médias empresas podem utilizar o M&A como forma de recurso para alavancar o seu negócio, iniciando uma nova consolidação de mercados e atraindo novidades que possam fazer a diferença no futuro. Nesse caso, para dar esse passo é preciso entender qual o tipo de mercado que a empresa está inserida e tratar uma estratégia de planejamento.

Mas, afinal, como é o processo de fusão e aquisição de uma empresa?

Fusão é o processo de interligação entre uma ou mais empresas que unem suas forças para se tornarem um novo negócio, ou seja, uma nova empresa.

Vamos partir do ponto de vista que esse processo de M&A é como se fosse um casamento. Por isso, antes de sair assinando os papéis, é necessário que o empresário conheça muito bem onde está se metendo. Um estudo sobre a combinação de duas ou mais empresas é extremamente importante. Além disso, é importante saber que existem cinco tipos diferentes de fusões: Horizontal, Vertical, Conglomerado, Extensão de mercado e Extensão de produto. 

É muito significativo que o empresário conheça cada uma delas, já que o termo escolhido vai depender da função econômica, finalidade da transação e relacionamento entre elas. 

Quais são os tipos de fusões empresariais?

  • Fusão Horizontal ocorre entre as empresas que fazem parte do mesmo setor, nesse caso, sendo concorrentes ou oferecendo o mesmo tipo de produto ou serviço. Ela funciona de maneira a criar uma nova empresa com maior atuação no mercado e expandir sua área de atuação. A operação dentro desse tipo de setor tende a ser muito semelhante, nesse caso, pode haver a oportunidade de fundir também as operações, por exemplo, o processo de fabricação, gerando a redução nos custos.
  • Fusão Vertical é o nome do processo que ocorre entre a junção de duas ou mais empresas onde os negócios se complementam. Basicamente, é a fusão de empresas que são produtoras de serviços diferentes, mas para um produto final específico. Os objetivos dessa fusão se dão por maior controle sobre as atividades e a proteção do investimento principal, facilidade na distribuição de produtos e matérias-primas.
  • Conglomerado é um tipo de fusão de empresas que são envolvidas em atividades totalmente diferentes e que não se relacionam de forma alguma, ou seja, com produtos e serviços completamente diferentes. Tem como função a diversificação do risco e o aproveitamento das oportunidades de investimentos no mercado.
  • Extensão de mercado, como o próprio nome diz, se dá com a finalidade de que as empresas consigam atingir um mercado maior, ou seja, que assegure uma base maior de clientes. Ela ocorre entre empresas que produzem os mesmos produtos e serviços, mas em mercados separados.
  • Extensão de produtos ocorre de forma semelhante a anterior, porém, nesse caso, a ideia é que as empresas agrupem os seus produtos e atinjam maior número de consumidores, garantindo maior lucratividade. Esse tipo de fusão, geralmente ocorre entre empresas que possuem produtos ou serviços que se relacionam de alguma forma, operando no mesmo mercado. 

Entre os principais motivos para que ocorra a fusão e aquisição de empresas está a economia nos custos de produção, especialmente quando a fusão ocorre entre empresas concorrentes. Além disso, o processo de aquisição de empresas pode gerar capital e possibilitar sua entrada em novos mercados ou a geração de novidades no setor de produtos. 

Além da fusão de empresas gerar lucratividade, ela também gera a troca de conhecimentos técnicos, que se complementam e podem colaborar com a competitividade no mercado, além da redução de custos, abrangência da marca, aumento de receitas e diminuição de riscos. 

Processo de aquisição de empresas

Já o processo de aquisição de empresas ocorre por meio da compra do controle acionário de um patrimônio por outra. No caso de aquisição global da empresa adquirida, a compradora assume todo o controle, fazendo com que a empresa que foi comprada, deixe de existir. Nesse caso, a compradora a sucede nos direitos e obrigações.

Em sua maioria, as aquisições acontecem com a intenção de crescimento de uma empresa, quando acaba sendo mais fácil e benéfico assumir as operações de um negócio já existente do que expandir por conta própria. Geralmente, isso ocorre devido a dificuldade das grandes empresas crescerem sem perder a eficiência de seus serviços. 

As aquisições podem ocorrer de formas amigáveis e hostis. Nas aquisições amigáveis os executivos da empresa-alvo apoiam a adquirente no processo de due diligence – investigação da oportunidade de negócio que o investidor deve aceitar para estudar os riscos e benefícios da transação – e veem a operação como um benefício.

Nas aquisições hostis, as compras ocorrem por um mercado aberto e contra a vontade do conselho de administração da empresa-alvo. 

As aquisições podem ser feitas por meio da compra de ações da empresa-alvo, em que todo o passivo assumido pela adquirida está incluso, passando todos os riscos a sua aquisidora ou da compra dos ativos líquidos da sociedade, onde o capital recebido é pago aos seus acionistas por meio de um dividendo ou por liquidação.

Mas, atenção! Antes de dar início a um processo de M&A é necessário compreender que existe uma etapa de análises da empresa. Nessa etapa, é importante que o empreendedor faça a avaliação da empresa estudando quais benefícios e riscos essa transação pode trazer e como se concentra o volume de vendas, receita, custos e balanço. 

Após a realização da avaliação, é necessário saber quanto a empresa vale. Para isso é necessário saber como calcular o valor de uma empresa através do Valuation – que utiliza um valor quantitativo para estimar o valor de forma sistematizada – identificando e avaliando alternativas que permitam estruturar as transações da fusão e aquisição para que o empresário consiga selecionar qual a melhor proposta para alcançar seus objetivos.

Analisados os valores de valuation, o próximo passo se dá pela negociação, ou seja, é a hora de entrar em acordo sobre os preços oferecidos e sobre a estrutura da transação. A execução do processo Due Diligence ocorre a partir da aceitação da proposta onde os líderes da empresa compradora devem assegurar uma revisão total da entidade-alvo, assim, é possível compreender completamente as oportunidades e riscos associados à transação. 

Para concluir, pode ser necessária a negociação de alguns termos, caso contrário, é redigido um contrato de venda onde ambas as partes devem assinar e a venda é anunciada para o mercado – no caso de grandes empresas. 

Ao falar sobre M&A, até parece um processo simples, mas não é por isso que o empresário já pode sair por aí se arriscando. Fazer a fusão ou a aquisição de uma organização é um negócio sério, por isso, ter um acompanhamento de profissionais da área de finanças é crucial, por ser um processo de transações financeiras – e, muitas vezes, altíssimas – os controllers devem entrar em ação.

Como fazer um processo de M&A?

Para isso, existem algumas empresas especializadas nesse tipo de negócio com o papel de dar todo o apoio necessário para o empresário. A Studio Brokers é a uma franquia do Grupo Studio especializada em M&A. Ela atua diretamente com ferramentas de intermediação nas operações societárias de compra, venda, aportes de capital, tudo para ajudar o cliente de acordo com as suas necessidades. 

A Studio Brokers oferece vários serviços como atuação no fundo de investimento, análise financeira, know-how em middle market e negociação, segurança na hora da fusão ou aquisição, tecnologias para acelerar os processos, avaliações tributárias, planejamento e coordenação e muitos outros produtos importantes para a hora da negociação.

Além disso, a Studio Brokers ainda possui um banco de dados com potenciais clientes em busca de parcerias interessadas em fechar um negócio que interesse à ambas as partes. Para conhecer mais sobre os serviços oferecidos, basta acessar o site da franquia.


Leia mais:

Assista também:


Redação Grupo Studio