RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio BrokersApós ano de incerteza eleitoral, China amplia investimento no Brasil

Após ano de incerteza eleitoral, China amplia investimento no Brasil

No último ano, os investimentos no país atingiram US$ 1,9 bilhão, valor superior aos 283,8 milhões que foram investidos no ano anterior. Durante os últimos 10 anos, o total de operações chineses no Brasil atingiu US$ 55 bilhões, num total de 83 operações.

A maioria dos investimentos realizados pelos chineses no país está concentrada em áreas de energia e infraestrutura, consequência do interesse estratégico da potência mundial em expandir suas operações nos países da América Latina.

Cautela

Apesar de haver ocorrido uma recuperação no fluxo de investimentos da China para o Brasil, a relação entre os países passou por períodos conturbados a partir do avanço de Jair Bolsonaro à Presidência da República.

No período da campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro afirmou que os chineses estavam “comprando o Brasil”. E, também defendeu o distanciamento de países socialistas.

Perante a importância da relação com a China, o principal parceiro comercial com o Brasil, Bolsonaro utilizou o Hamilton Mourão, vice-presidente, para acalmar os ânimos com a potência mundial. Mourão visitou o país em uma viagem simbólica.

Logo depois, Bolsonaro aterrissou na China para oficializar a aproximação. Encontrou-se com o presidente chinês Xi Jinping e convidou empresas do país para estarem presentes no megaleilão do pré-sal, que ocorreu no mês seguinte.

2020, em busca de desenvolvimento

No decorrer da realização da reunião do BRICS – grupo formado por Brasil, Índia, China, África do Sul e Rússia-, em Brasília, o governo chinês revogou um acordo que determina investimentos de US$ 100 bilhões no Brasil. Dinheiro com origem de cinco fundos estatais do país asiático, visando operações de infraestrutura.

Ao mesmo tempo, a previsão é de que a economia brasileira cresça mais em 2020, cerca de 2,28% segundo o mais recente Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central. Ainda assim, as contas públicas ainda estão em frangalhos, sem espaço para investimentos públicos em infraestrutura.

Para 2020, o setor de infraestrutura trará novas oportunidades a investidores nacionais e estrangeiros. A União estima que o leilão de 40 a 44 ativos some R$ 101 bilhões em investimentos nos próximos anos. O pacote, que tem sido apresentado para investidores estrangeiros, inclui rodadas de 7 rodovias, 2 ferrovias, 9 terminais portuários e 22 aeroportos


Redação Grupo Studio