RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioStudio AgroRelembre as principais conquistas do agro brasileiro

Relembre as principais conquistas do agro brasileiro

Em 2019, o  Ministério da Agricultura realizou 25 missões internacionais de alto nível, além de apoiar a participação em grandes feiras internacionais. O resultado foi a abertura de 26 novos mercados para produtos exportados para 16 países, representando oportunidades de acesso a um mercado estimado em quase US$ 9 bilhões ao ano. Relembre os principais fatos que marcaram o agronegócio brasileiro no mundo em 2019.

Acordo Mercosul e União Europeia

Em momento histórico, aguardado há 20 anos, o Mercosul e a União Europeia fecharam no dia 28 de junho, em Bruxelas, o acordo comercial entre os dois blocos. O acordo vai modernizar e aumentar a competitividade da agricultura brasileira. Com ele, 82% das exportações agrícolas brasileiras entrarão na Europa com tarifa zero em dez anos.

Antes de entrar em vigor, o acordo precisa ser aprovado pelos parlamentos dos países da União Europeia e do Mercosul.

  • 1995: Assinatura do acordo-quadro de cooperação inter regional Mercosul-União Europeia
  • 1999: Fixação do objetivo de iniciar as negociações do acordo, com seus três pilares – comercial, político e cooperação
  • 2000 à 2004: Fase de negociações – elaboração de textos negociadores e troca de duas ofertas de compromissos tarifários. As partes consideraram insatisfatórias as ofertas de acesso a bens
  • 2010: Relançamento das negociações birregionais. Melhoria das ofertas de bens em relação a 2004, sem exclusões setoriais e apresentação de ofertas de acesso aos mercados de serviços e compras governamentais
  • 2010 à 2012: Segunda fase de negociações – avanço dos textos negociadores, mas sem troca de ofertas
  • 2016 à 2019: Terceira fase de negociações – em maio de 2016, as Partes intercambiaram ofertas de acesso aos mercados de bens, serviços e compras governamentais. Nova troca de ofertas ocorreu entre dezembro de 2017  e janeiro de 2018.
  • De 2016 a 2019: As partes negociaram textos de maior complexidade temática, que refletem o estado da arte dos acordos mundiais
  • 2019: Na reunião de ministros realizada, em Bruxelas, foi realizado o anúncio político da conclusão da parte comercial do Acordo de Associação Mercosul-UE

Acordo Mercosul e EFTA

Em agosto, foram concluídas, em Buenos Aires, as negociações do acordo de livre comércio entre o Mercosul e a Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA), bloco integrado por Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein. As negociações entre os dois blocos foram lançadas em janeiro de 2017 e finalizadas após dez rodadas.

O acordo proporcionará acesso preferencial para os principais produtos agrícolas exportados pelo Brasil, com a concessão de acesso livre de tarifas, ou por meio de quotas e outros tipos de concessões parciais. Alguns dos setores que serão beneficiados com o acordo são: carne bovina, carne de frango, milho, farelo de soja, melaço de cana, mel, café torrado, frutas e sucos de frutas.

Encontro de Ministros da Agricultura do Brics

Os ministros da Agricultura do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) estiveram reunidos em Bonito (MS), em setembro. Ao final da reunião, os representantes dos cinco países assinaram a Carta de Bonito, com 27 itens que reiteram o comprometimento com a cooperação na área agrícola.

Os ministros afirmaram o potencial para aprimorar a colaboração nas áreas de produção de alimentos, segurança alimentar e segurança ambiental. Durante o encontro, a ministra Tereza Cristina defendeu regras no comércio internacional que permitam equidade entre países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Melão para a China

Em novembro, o Brasil fechou acordo com a China que viabiliza a exportação de melão para o país asiático. Em contrapartida, os chineses poderão vender pera para o mercado brasileiro. Os protocolos sanitários foram firmados após reunião bilateral entre os presidentes Jair Bolsonaro e Xi Jinping, dentro da XI Cúpula do Brics, em Brasília. A ministra Tereza Cristina participou do encontro. O acordo é simbólico por se tratar do primeiro entendimento com a China sobre frutas.


Leia mais:

Assista também:


Redação Grupo Studio