RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioStudio AgroEm imóvel com função agrícola em perímetro urbano ITR se impõe ao IPTU

Em imóvel com função agrícola em perímetro urbano ITR se impõe ao IPTU

O fundamento da localização do imóvel não é o bastante para que se decida sobre a incidência do IPTU ou ITR, é preciso também analisar a destinação econômica.

Baseado nesse entendimento do Superior Tribunal de Justiça, o colegiado da 15ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo optou por permanecer com a sentença de 1ª instância que anulava a cobrança de IPTU de 2014 a 2019 de proprietário de terra dentro da capital paulista.

A juíza Liliane Keyko Hioki, da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de São Paulo, autorizou o mandado de segurança pública a favor do agricultor. Na ocasião, a juíza alegou que, “embora o imóvel indicado na inicial tenha sido incluído na Zona Urbana do Município de São Paulo (fls. 271/622), é certo que a destinação econômica é exclusivamente rural, tanto que a área é objeto de exploração para produção de mudas e outras formas de propagação vegetal, horticultura e comércio varejista de plantas e flores naturais”.

O desembargador Eutálio Porto, ao analisar o recurso do município observou que a controvérsia envolvendo a competência tributária municipal para a instituição do IPTU, quando se refere a área localizada no perímetro urbano ou de expansão urbana que possua exploração vegetal, agrícola, pecuária ou agroindustrial, já esta pacificada na jurisprudência do STJ.

O Código Tributário Nacional (CTN) compreende que o imóvel que esteja localizado em local urbano, para incidir IPTU, deve contar com pelo menos dois dos seguintes elementos: meio fio ou calçamento; com canalização de águas pluviais; abastecimento de água; sistema de esgotos sanitários; rede de iluminação pública, com ou sem posteamento para distribuição domiciliar; escola primária ou posto de saúde a uma distância máxima de três quilômetros do imóvel considerado.

Portanto, é muito importante esclarecer que o Superior Tribunal de Justiça, ao julgar o Recurso Especial 1.112.646/SP, não percebeu tal regra como absoluta. É plausível haver um imóvel situado em região urbana, que tenha dois ou mais pontos citados, mas da mesma forma não seja adequado incidir o IPTU municipal.

Em seu voto, o magistrado do tribunal paulista declarou que essa jurisprudência é aplicada desde que se comprove a exploração extrativa, vegetal, agrícola, pecuária ou agroindustrial.  Desta forma, votou pelo não provimento do recurso do município e seguiu com a decisão que descartava o pagamento do IPTU de 2014 a 2019.

Fonte:  Conjur

Assista ao nosso vídeo sobre as principais características do agronegócio:


Redação Grupo Studio