RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioStudio RHPandemia: cresce o número de contratação de temporários

Pandemia: cresce o número de contratação de temporários

A pandemia fomentou uma forma de contratação que já existia antes: a de temporários muito qualificados para projetos especializados. Até pouco, essa maneira de recrutamento era mais comum no varejo, que contratava temporários para momentos específicos, como Natal, por exemplo.

A novidade é que ultimamente, empresas de diversos ramos então contratando profissionais muito qualificados para projetos especializados.  “O mercado já vinha nessa tendência de contratar por projeto. Mercados mais maduros, como a Europa e os Estados Unidos, já trabalham há bastante tempo dessa forma. No Brasil, essa modalidade era forte no varejo e chão de fábrica. De uns tempos para cá, ela foi amadurecendo e atingiu projetos mais especializados”, disse Lucas Nogueira, diretor de recrutamento da Robert Half.

Tendência

Anualmente, o Brasil costuma contratar cerca de 1 milhão de temporários. A expectativa é que este número chegue a 1,5 milhão em 2020. Pesquisa da Robert Half mostra que 41% das empresas brasileiras devem aumentar a contratação de pessoal por projetos nos próximos meses. Dos que já recorreram a essa modalidade de contrato, 50% disseram que vão explorar mais esse vínculo no futuro.

Nogueira diz que a contratação para projetos especializados é uma das tendências para o futuro e ela se apoia em vários fatores, como cenário de incertezas para as empresas e mudança no perfil dos contratados.

“A pandemia criou um cenário de incertezas muito desafiador para as empresas. Como contratar para demandas específicas e atender a legislação trabalhista? A contratação temporária aparece como uma solução, pois ela oferece todos os direitos trabalhistas ao funcionário, e é um modelo mais flexível para as empresas”, afirma Nogueira.

Perfil

Ainda segundo Nogueira, novas gerações não têm mais o sonho de passar a vida inteira na mesma empresa. “Eles buscam propósitos pontuais de carreira, por isso é muito mais aberta a esse tipo de contratação por projeto temporário.”

Cargos em alta

O Guia Salarial Robert Half elencou alguns setores e ocupações com mais tendência de recrutamento para projetos especializados. Veja alguns:

  • Tecnologia: desenvolvedor, analista de segurança, scrum master
  • Seguros: analista de subscrição, de sinistro, de contabilidade
  • Recursos Humanos: recrutador, analista se RH generalista, analista de folha de pagamento
  • Financeiro: analistas de compliance, de crédito e risco e de investimentos
  • Engenharia: analistas de logística, de serviços, comprador
  • Jurídico: analista de compliance, advogado generalista, paralegal

Questão salarial: contratado por projeto não irá ganhar menos?

Nogueira diz que isso é um mito que se tem em relação ao contrato temporário. “Existe uma lei regendo esse tipo de contrato que não permite que a empresa pague salários diferentes para o temporário do que ela paga para o seu funcionário direto em posição equivalente.”

Além disso, segundo ele, números mostram que 35% dos temporários qualificados são efetivados ao final do projeto. Outro ponto é que na mudança de um projeto para outro esse profissional consegue elevar em 10%, em média, sua remuneração. “Tem o gatilho salarial da lei e o da experiência. Isso vale para os qualificados.”

Fonte: Uol


Redação Grupo Studio