RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioNotíciasNovo coronavírus: como fica o atendimento ao cliente?

Novo coronavírus: como fica o atendimento ao cliente?

Uma pergunta que surge com muita frequência no cenário atual é: como fica a relação ao atendimento aos clientes?

Empresas no ramo de produtos e serviços essenciais estão com boa parte de seus funcionários em casa, devido ao isolamento social – e o relacionamento entre empresas e clientes, é fundamental para o sucesso de qualquer negócio.

Sem saber quando o surto do novo coronavírus irá “embora” do Brasil, a melhor saída é se espelhar nos acertos de outros países e buscar uma certa vantagem competitiva.  Diante disso, elaboramos algumas dicas para você e sua equipe se adaptarem da melhor maneira para seguir em frente neste período de quarentena:

  • O maior segredo que descobri sobre trabalhar em casa é aquilo que chamo de “a política do primeiro dia”, isto é, aquilo que você fizer a partir das 6h do primeiro dia deverá se tornar um hábito natural para os próximos dias. Então, se você quer fazer o seu melhor trabalho, comece estabelecendo qual será o seu horário de trabalho. De verdade. Início, almoço, eventuais paradas para um respiro rápido e término;
  • A palavra-chave para não sofrer desnecessariamente é disciplina. Tão importante quanto começar no horário, também parar no horário combinado com você mesmo é de vital importância. Afinal, você não irá ‘levar trabalho para casa’. Você já está em casa!;
  • Reserve um local que você possa chamar de escritório. Não importa se é a mesa da cozinha ou um cômodo inteiro dedicado para isso. O importante é que você respeite este local como seu local de trabalho durante este período, assim como as pessoas que, porventura, residam na mesma casa;
  • Combine o “jogo” com todos na casa. Se você é casado e sua esposa ou esposo também está passando pela mesma situação, então vale alinhar quando e em que local cada um irá exercer suas atividades;
  • Se você tem filhos pequenos, como foi o meu caso durante alguns anos, este ‘combinado’ se faz ainda mais premente. Se você não tem com quem deixar os pequenos, minha sugestão é combinar com o seu(sua) chefe a sua situação. Se ele(a) não for sensível à sua necessidade talvez valha reavaliar a empresa para a qual você trabalha;
  • Considere que você está trabalhando em casa e não de férias em casa. A geladeira, a televisão, o cachorro, o vizinho, são os melhores motivos para largar o seu ofício e procurar outra coisa para fazer;
  • Se até este momento você tinha uma agenda regular de ir e voltar para o escritório e almoçar pela região, procure utilizar parte do tempo que você teria de deslocamento, seja no início ou no final do dia, para preparar as refeições que fará durante o dia. Isso evita quebrar a rotina de trabalho e garante ao mesmo tempo uma comida de melhor qualidade e uma natural redução nos seus gastos ao final deste período;
  • O e-mail e o WhatsApp viraram o principal canal de comunicação de boa parte das empresas. Talvez não seja mais natural, mas aproveite estas lacunas da proximidade física para preencher com conversas reais seja através do telefone (sim, eles ainda fazem ligações de voz) seja por meio de algum aplicativo. Pela minha experiência, sugiro que toda pessoa da equipe faça-receba pelo menos um contato destes por dia. Isso nos dá um senso de pertencimento que não há nada que substitua;
  • Tenha paciência. Por mais que todo mundo que sempre trabalhou no escritório sonhe em trabalhar em casa, esta prática quando estendida por mais de 2 ou 3 dias é uma outra realidade e começa a não ser tão prazerosa quanto parece se você não estiver psíquica e emocionalmente bem preparado;
  • Por fim, considere que a compreensão e a compaixão de que este é um momento desafiador para todos pode tirar um pouco da pressão de uma mudança diária tão drástica quanto a que estamos passando no momento.

Dica extra: aproveite o tempo que você gastaria para se descolar até o trabalho e pratique alguma atividade física ou até mesmo limpe a casa. Desta forma, é possível evitar sentir alguma dor causada pela paralisação do corpo.  Busque fazer do seu local de trabalho um espaço tranquilo e aproveite para se conectar com “você mesmo”.

Fonte: Exame


Redação Grupo Studio