RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioStudio BankMesmo com os efeitos da crise, cooperativismo segue em alta

Mesmo com os efeitos da crise, cooperativismo segue em alta

Gerar novas oportunidades de expansão para o sistema, diluir custos e ampliar a geração de emprego e renda são algumas das motivações para a entrada do Sicredi em Minas Gerais, revelou Adilson Metz, presidente da Sicredi Integração RS/MG.

Na última segunda-feira, 10, Metz disse que o Banco Central que fomenta a expansão das cooperativas, atualmente, já ultrapassou 6% das operações financeiras no país e prevê que o cooperativismo chegue a 20% do mercado financeiro.

Segundo o presidente, atuando em 11 municípios no Vale do Taquari, a cooperativa estima 40% de participação no mercado financeiro, o que significa aproximadamente 50 mil associados. Para Metz,a área concedida à Sicredi Integração em Minas significa um passo essencial para a expansão da cooperativa.

Metz também destacou as medidas adotadas pela cooperativa para enfrentar à pandemia causada pelo novo coronavírus. Atendendo às necessidades dos associados e contribuindo para manter a atividade da economia. “É na crise que as cooperativas têm crescido. As pessoas têm se unido mais, buscando superar desafios”, comenta.

Repasse de mais de R$ 630 mil

A cooperativa encerrou o processo seletivo e anunciou um total de 140 entidades contempladas com o montante de mais de R$ 630 mil, alusivo ao Fundo Filantrópico. O Fundo é formado por 2% das sobras líquidas da cooperativa e os valores disponíveis roteados entre agências na proporção de suas sobras e número de associados.

Fonte: Independente


Redação Grupo Studio