RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioNotíciasMercado de startups segue promissor em 2020

Mercado de startups segue promissor em 2020

As expectativas para o mercado de startups seguem promissoras em 2020 no Brasil. A perspectiva é que sigam sendo um caminho alternativo de investimento, principalmente neste momento que os ganhos em renda fixa se consolidaram em patamares civilizados.

Em 2019, o fluxo de capital direcionado a startups foi recorde. Segundo uma análise da Consultoria Distrito, que foi divulgada no final do mês de janeiro, o país adquiriu US$ 2,7 bilhões em aportes, distribuídos por 260 rodadas de investimentos. Esse valor é 80% maior ao que foi verificado em 2018.

Outra forma para que startups capitalizadas ganhem condições de crescerem de maneira não orgânica, são as fusões e aquisições. Adquirir empresas é um ótimo negócio e o corporate venture tem se consolidado como uma estratégia de grandes conglomerados. Da mesma forma, é comum que startups com melhor posicionamento avaliem comprar outras menores que complementem em algum aspecto o sentido do negócio maior.

O empreendedor brasileiro precisa compreender e considerar o que é chamado no mercado de “Early Exit”. A definição serve tanto para quem fundou a empresa como para investidores-anjo.

Fora do país, a maior parte das aquisições são efetuadas quando a empresa ainda está em fase de crescimento, com uma valuation de aproximadamente US$ 50 milhões ou menos. Por exemplo, o Google, opta por transações menores. Costuma compra-las antes mesmo das empresas iniciarem a geração de receita.

O maior número dos investimentos tem um prazo de maturação que varia entre cinco e sete anos, conforme a quantia empenhada. Em vez disso, no Brasil, fala-se de retirar o capital em dois ou três anos, no máximo.

Em um mercado mais enérgico, as tomadas de decisões de investimentos requerem uma maneira mais ágil e, assim sendo, a expectativa de retorno possui um prazo mais curto.

Vale ressaltar que um dos grandes riscos em termos financeiros é o investidor ou empreendedor esperar tempo demais para sair, com esperança de obter ganhos maiores. Não entender o momento certo pode fazer com que a taxa de crescimento da empresa estacione ou até mesmo caia, o que desvaloriza o valuation.

No momento do investimento há uma tensão natural entre tempo, potencial e probabilidade. O proprietário de uma empresa com pouco capital que planejar uma saída antecipada pode não ter grande potencial, mas uma boa probabilidade de dar certo em um espaço de tempo menor. Um aporte efetuado por um Fundo VC amplia o potencial de ganho, ao mesmo tempo em que diminua a chance de saída em um prazo mais longo.

Fonte: IstoÉ


Redação Grupo Studio