RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioRevisão BancáriaJuros do Cartão de Crédito: é bom manter distância

Juros do Cartão de Crédito: é bom manter distância

Para muitos, o uso do cartão de crédito é visto como uma das grandes facilidades vida atual. A possibilidade de ter sempre “dinheiro”, ou até mesmo fazer compras a prazo pode parecer muito cativante.

Entretanto, é necessário muito cuidado na hora de usar o cartão, especialmente quando a fatura chega.

O acúmulo de prestações e os altos juros dos cartões de crédito podem gerar grandes dores de cabeça para o consumidor, principalmente quando se trata de pagamento mínimo da fatura e crédito rotativo, que tem a capacidade de duplicar as dívidas se não forem usados com atenção.

Crédito Rotativo

Esse é o nome dado ao crédito em dinheiro que o cartão de crédito empresta sempre que o valor total da fatura não for pago. O Crédito Rotativo funciona da seguinte maneira: você possui um limite de R$ 1.000 no seu cartão, e esse mês, você gastou todo seu limite. Quando chega a fatura, você não paga os R$ 1.000 que gastou e sim, somente a metade, ou seja R$ 500,00.

Esses outros R$ 500,00 que você deixou em aberto com a operadora do cartão vão entrar no seu crédito rotativo, ou seja, é como se fosse um empréstimo que a operadora do cartão está fazendo para você.

O problema é que os juros do cartão de crédito são os mais altos do mercado.

Juros do cartão de crédito

Vamos supor que exista uma fatura, cujo valor total é de R$ 1.411,65, e o titular deste cartão resolva pagar apenas o mínimo, no valor de R$ 211,75.

Se ele não comprar mais nada no próximo mês, o valor da próxima fatura será o seguinte:

  • a diferença entre o pagamento total e o mínimo: R$ 1411,65 – 211,75, ou seja, R$ 1.199,90
  • mais os juros de mora (1,01% ao mês) e a multa por atraso (2%) que são acrescidos aos R$ 1199,90, totalizando R$ 36,12
  • além disso, deve também ser somado a esse valor os juros de cartão de crédito, ou seja, do crédito rotativo, que no nosso exemplo são de R$ 10,54% ao mês. Isso dará só de juros o valor de R$ 126,47
  • a próxima fatura virá então no valor de R$ 1.362,49 (que representa a soma do valor que ficou a ser pago + os juros de mora e multa + os juros do cartão de crédito).

Observe que apesar do pagamento de R$ 211,75, a pessoa vai ficar devendo para o mês seguinte quase o mesmo valor que devia no mês anterior.

Para você entender o impacto dos juros do cartão de crédito, fizemos uma simulação.

Agora, vamos supor que a pessoa resolva pagar mais uma vez o mínimo, que no nosso exemplo vai ser de R$ 204,37. Se seguirmos nesse raciocínio a fatura do terceiro mês virá de R$ 1.315,04.

Assim, uma pessoa que devia R$ 1411,65 e pagou, em dois meses R$ 416,12, ainda deve R$ 1315,04. Você percebe que é como se a dívida não tivesse saído do lugar?

Imagina quanto uma pessoa pagará de juros em um ano, se seguir assim?

A realidade é que rapidamente essa dívida se tornará uma bola de neve, comprometendo todas as suas finanças.

Dicas

  • Só use o cartão em caso de necessidade. Uma boa alternativa é deixar o cartão em casa para evitar as compras por impulso.
  • Evite ter vários cartões de crédito, pois isso torna o controle das despesas muito mais complexo. Um cartão é suficiente, uma vez que as maquininhas aceitam todas as bandeiras disponíveis.
  • Registre todas as compras feitas do cartão, inclusive as compras parceladas, para que você não perca o controle de quanto já gastou.
  • Cuidado com as ofertas de limites altos em cartão de crédito. O ideal é que ele nunca ultrapasse a 50% do seu salário mensal, para evitar que você gaste mais do que possa pagar.
  • Não incorpore o limite do seu cartão de crédito à sua renda mensal, a menos que você consiga pagar a integralidade da fatura, ou seja, o valor total do seu limite
  • Nunca pague somente o mínimo! Nem um valor que seja menor que a valor total de compras. O cartão existe para que a fatura seja quitada completamente na data de seu vencimento.
  • Negocie o pagamento da anuidade, não aceitando a cobrança padrão que vem na fatura mensal. Apesar de dar um pouco de trabalho, na maioria das vezes com uma ligação você consegue descontos de mais de 50% na anuidade do cartão.
  • Consulte várias vezes a fatura ao longo do mês, para evitar surpresas. Assim fica mais ir acompanhando os valores gastos.

Fonte: Jusbrasil


Redação Grupo Studio