RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioNotíciasCoronavírus: startup gaúcha testa drones para desinfectar ruas

Coronavírus: startup gaúcha testa drones para desinfectar ruas

A empresa gaúcha SkyDrones desenvolveu uma solução que desinfeta espaços com públicos com mais eficiência que pulverizadores comuns através do uso de drones.

O método já é usado na aplicação de herbicidas e monitoramento de lavouras, e agora, foi adaptado para realizar a higiene de espaços públicos, reduzindo significativamente o tempo de desinfecção das ruas.

Para fazer a limpeza, a SkyDrones importou os protocolos chineses que usam de água sanitária e cloro concentrado para higienização dos espaços, eliminando o vírus de superfícies.

Ulf Bogdawa, diretor da SkyDrones, conta que entre as principais vantagens do uso de drone estão a segurança e a rapidez do processo. “Na desinfecção com o pulverizador normal, bem como no campo, a pessoa que está aplicando se envolve na nuvem de produto químico, Com o drone, o piloto fica longe e as pessoas não entrar em contato com nenhum produto químico”, comenta.

Criada em Porto Alegre e no mercado há 13 anos, a empresa foi umas das primeiras do país a elaborar a tecnologia de veículos não tripulados. Chamado de Pelicano 2020, o drone pode ser usado para desinfetar áreas públicas, prédios e objetos de rua.

Ulf também ressalta que a China já possui mais de 20 mil drones fazer realizar as pulverizações, contra 500 no Brasil. Em vista disso, a empresa disponibilizou um protocolo chinês para que outros fabricantes de drones também possam usar a tecnologia.

O uso do drone pode substituir até 10 pulverizadores comuns usados nas costas dos aplicadores e oferece também um mapeamento e histórico sobre as áreas que passar por desinfecção. A SkyDrones cedeu a tecnologia para que a prefeitura da capital gaúcha use de acordo com a evolução dos casos de coronavírus.

Na avaliação da prefeitura, a desinfecção não é uma demanda neste momento. Caso venha a ser essencial, a tecnologia estará liberada para uso.


Redação Grupo Studio