RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias E-FiscalTributação em produtos de padaria: como isso funciona?

Tributação em produtos de padaria: como isso funciona?

O sistema tributário brasileiro é composto por muitas taxas e impostos, o que torna o sistema um dos mais complexos do mundo. Para os empresários ou para quem trabalha com essas taxas de tributação, é normal surgirem várias dúvidas na hora de gerar o pagamento dos impostos. 

Isso ocorre devido à alta demanda de impostos e informações, que dificultam a organização na hora da aplicação de taxas e tributos a uma rotina de planejamento. Além disso, muitas vezes o responsável pelo setor de pagamentos não tem muito conhecimento sobre as legislações, muito menos tempo para se dedicar a conhecer detalhes desse setor, o que pode gerar uma rotina de recolhimento com falhas, de forma imprecisa ou incorreta.

Porém, é importante destacar que esse tipo de procedimento, se realizado de maneira incorreta, pode gerar desgastes na estrutura contábil da empresa, acarretando em multas e até mesmo prejudicando o empreendimento.

As empresas de Panificação e Confeitaria rotineiramente acabam por enfrentar problemas relacionados à tributação. Dentro desse segmento, a maioria dos empreendimentos se dão pela predominância de pequenos negócios, tendo seu negócio enquadrado no Simples Nacional.

Ainda que algumas vezes essas empresas precisam realizar algumas manobras contábeis e fiscais, esse tipo de regime tributário tem mostrado um bom funcionamento, porém, à medida em que a empresa vai crescendo, passam a surgir algumas limitações.

 

Isso ocorre porque, durante um estágio de crescimento, algumas empresas podem perder rentabilidade por não conseguirem manter essa nova estrutura tributária de maneira estável. Dessa forma, é comum que muitas empresas continuem mantendo seu regime dentro do Simples, realizando essas manobras fiscais.

 

Porém, é necessário ressaltar que esse tipo de atitude pode inviabilizar a empresa, uma vez que o balanço passa a ser enquadrado em uma escala menor do que a de real rendimento da empresa, o que impede seu crescimento e age como uma máscara, encobrindo falhas que podem ser apresentadas na administração do negócio.

Nesse caso, o ideal é que quanto mais a empresa cresce, mais próximo ela fica de se enquadrar em outras modalidades de regime tributação, como Lucro Real e Lucro Presumido. 

Manter um planejamento financeiro e contábil é um processo que faz parte do desenvolvimento da empresa. Por isso, é muito importante que o empreendedor esteja ativo na contabilidade do seu negócio para manter o empreendimento em conformidade com a legislação. Dessa forma, é possível administrar os impactos tributários e obter uma otimização dos resultados e retornos de investimento.

Nesse caso, o ideal é que o empreendedor busque o auxílio de profissionais capacitados na área de contabilidade, que possuam conhecimentos sobre esse tipo de gestão para apresentar as melhores ferramentas para a otimização de recursos dentro da panificadora e confeitaria. Assim, fica mais fácil arcar com a incidência de imposto sobre o negócio.

Como funciona a tributação em produtos de padaria?

Na hora de abrir um negócio nesse setor, uma das coisas mais importantes para o comerciante é conhecer quais os tributos que são cobrados e suas respectivas taxas de alíquotas, assim, quitá-los acaba se tornando uma tarefa menos complexa, e colabora para que o empreendimento apresente resultados mais positivos. 

Para facilitar a vida do empreendedor, foi realizado um estudo sobre tributação na panificação e confeitaria pela ABIP (Associação brasileira de indústria de Panificação e Confeitaria) em convênio com o Sebrae e com o ITPC ( Instituto Tecnológico de Panificação e Confeitaria). 

Esse estudo foi composto pela análise de diferentes perfis de empresas relacionadas ao setor, mostrando o impacto causado pelas tributações nas diversas formas de enquadramento e como cada empresa se comportaria em cada tipo de regime.

O estudo mostra que os impostos incidentes sobre determinada empresa podem tomar até 40% do seu faturamento. Ao analisar cada um desses impostos, foi notório que o ICMS toma 18%, o IPI 10% e o PIS e COFINS podem tomar até 9,25% do faturamento.

Com base nisso os impostos incidentes sobre as empresas do setor são o PIS, COFINS e o ICMS. O PIS e COFINS apresentam alíquotas de 0,65% até 7,66%, porém, esses valores muitas vezes ficam por conta da receita, que vem devido a indústria, importador ou até mesmo por meio das tributações monofásicas que cabem a determinados produtos. No caso as alíquotas de ICMS, elas representam um valor de de 25,00%. 

Portanto, é importante observar que o ICMS, por ser um tributo estadual, é cobrado de forma diferente em cada estado, tornando ainda mais complexa a transição de mercadorias entre os estados. No caso das alíquotas cobradas, algumas vezes essa tributação pode ser cobrada de forma diferente na entrada ou saída de mercadorias do estado. 

Vale ressaltar que esses valores apresentados nas taxas de tributação acabam recaindo diretamente sobre ao consumidor final, na forma de taxas de pagamentos de produtos que são vendidos diretamente ou nos casos de vendas para os produtos em atacado.

Vale a pena realizar um planejamento tributário em uma padaria?

Considerando que o grande volume de informações e tributações dificulta a organização das rotinas de planejamento e que, muitas vezes, os empresários não possuem muito tempo se dedicando a realizar estudos sobre como essas tributações podem impactar o seu negócio, uma das maneiras de alcançar uma carga tributária mais justa é por meio de um planejamento tributário.

Ao realizar o planejamento tributário, é possível analisar toda a documentação tributária que uma empresa possui, assim, é possível achar brechas que estavam camufladas, facilitando na hora de garantir uma redução nos impostos, com uma análise dos impostos que foram pagos a maior. 

Além disso, com a realização de um planejamento tributário, a empresa consegue se enquadrar de forma adequada a algum tipo de regime tributário que seja mais vantajoso para o seu tipo de negócio, valorizando o seu fluxo de caixa. 

 

O ideal é realizar uma análise minuciosa de toda a área financeira da empresa, desde os valores que entram, até os valores que saem do caixa. Para isso, é necessário o auxílio de uma equipe de contadores especializados no setor, dessa maneira é possível garantir mais cuidado e obter um planejamento de sucesso.

O Grupo Studio possui uma franquia chamada E-Fiscal, que oferece diversos serviços na área de contabilidade para empresários que querem otimizar o seu negócio de maneira mais eficaz. Um deles é a recuperação de crédito e o planejamento tributário. 

 

SUGESTÃO DE ARTIGOS

 Quais os benefícios de um bom planejamento tributário?

Planejamento Tributário envolve riscos e oportunidades

Como conseguir a restituição de impostos indevidos?

SUGESTÃO DE VÍDEOS

Como usar o Planejamento Fiscal para pagar menos imposto?

Quais os riscos e benefícios de uma revisão tributária?


Redação Grupo Studio