RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias E-FiscalSérie Estudo Tributário: quanto pet shops pagam de imposto?

Série Estudo Tributário: quanto pet shops pagam de imposto?

O mercado pet tem se destacado como um dos setores que mais crescem no Brasil ao longo dos últimos anos. Afinal, o país conta com mais de 170 milhões de animais de estimação, número que abre espaço para uma série de oportunidades de negócios e venda de produtos.

Segundo as previsões de uma pesquisa do Instituto Pet Brasil, esse mercado faturou mais de R$ 36 bilhões apenas em 2019. Isso representa um crescimento acumulado de 49% em sete anos. E a tendência é que esse setor continue se expandindo no futuro. 

Por essa razão, não são poucos os empresários que já decidiram investir ou que estão em fase de consideração para atuar no ramo. Contudo, a maior parte dos empreendedores ainda enfrenta intensas dificuldades na hora de lidar com as questões tributárias ao gerir o próprio negócio.

Neste texto, vamos explicar quanto os pet shops pagam de imposto e qual é a importância do planejamento tributário para esse setor, além de revelar os dados do Estudo Tributário exclusivo que mostra quanto dinheiro pet shops podem recuperar por meio de créditos fiscais. 

Quais impostos incidem sobre pet shops?

Os tributos que cada pet shop paga podem variar de acordo com o regime tributário pelo qual a empresa optou, a sua faixa de faturamento, além da região do país onde ela está localizada. 

No caso de pet shops optantes pelo Simples Nacional, por exemplo, todos os impostos estarão reunidos dentro de uma guia única, a chama DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional. Isso porque esse regime foi pensado para simplificar o pagamento de impostos para empresas que faturam até R$ 4,8 milhões anualmente.

Já os empreendimentos que aderiram aos regimes de Lucro Real ou Lucro Presumido atingem faixas de faturamento maiores e precisam quitar cada tributo separadamente. 

Em geral, os impostos que os pet shops pagam são:

  • ISS: Imposto Sobre Serviços;
  • IRPJ: Imposto de Renda de Pessoa Jurídica;
  • ICMS: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços;
  • Cofins: Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social;
  • PIS: Programa de Integração Social;
  • INSS: Instituto Nacional de Seguridade Social.

Quanto pet shops pagam de imposto?

A taxa de impostos que incide sobre os pet shops costuma girar em torno de 30%. Isso quer dizer que, em 2019, por exemplo, ano em que o faturamento do setor ficou em aproximadamente R$ 36 bilhões, os pet shops pagaram cerca de R$ 10 bilhões em tributos. 

Ao longo dos últimos meses, a E-Fiscal e a Studio Fiscal, bandeiras do Grupo Studio voltadas para os setores de revisão e planejamento tributários, realizaram em conjunto um Estudo Tributário entre seus clientes.

Após reunirem uma série de dados, foi possível apontar quanto cada segmento de clientes atendidos conseguiu recuperar na forma de créditos fiscais entre 2013 e 2019, ou seja, quanto as empresas estavam pagando a mais do que era devido para o governo. 

Durante o período estudado, a E-Fiscal, que trabalha com empresas optantes pelo regime do Simples Nacional, atendeu 44 clientes do ramo de pet shops. Entre eles, o valor máximo recuperado em créditos tributários foi de R$ 681.540,03, sendo que a média por cada estabelecimento ficou em R$15.489,55.

Já a Studio Fiscal, cujos clientes aderiram aos regimes tributários do Lucro Real e Lucro Presumido, não atendeu nenhuma empresa do setor pet durante o período em que o Estudo Tributário foi realizado.

Planejamento fiscal para pet shops

O planejamento fiscal é um processo essencial para empresas de qualquer setor, já que ajuda a diminuir o valor que a instituição gasta com impostos e a organizar as suas finanças internas, melhorando o fluxo de caixa e a rentabilidade do negócio. 

Agora que você já sabe quanto os pet shops pagam de imposto, fica ainda mais fácil perceber a importância desse procedimento. Afinal, foi por meio do planejamento tributário que os estabelecimentos da área de pet shop clientes da E-Fiscal conseguiram reaver mais de R$ 600 mil em impostos pagos indevidamente. 

Essa prática funciona da seguinte maneira: o planejador fiscal analisa todos as questões relativas a impostos do pet shop, ou seja, qual é o regime tributário mais adequado, quais tributos devem ser pagos, quanto está sendo gasto, etc. 

A partir dessa observação, o profissional elabora um plano de ação para otimizar os gastos tributários do empreendimento, evitando gastos desnecessários e garantindo que a empresa não cometa erros que resultem em multas ou demais penalidades. Além disso, ele pode solicitar a devolução de pagamentos excedentes por meio do sistema de créditos fiscais.

Vale ressaltar que o planejamento fiscal é um recurso totalmente legal e não envolve práticas de sonegação ou evasão fiscal, as quais podem colocar a saúde financeira do pet shop em risco.

Quer saber mais? Preencha o formulário e entre em contato com a E-Fiscal!

 


Redação Grupo Studio