RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioNotíciasReceita Federal afirma que não haverá exclusão do Simples Nacional

Receita Federal afirma que não haverá exclusão do Simples Nacional

Devido à crise gerada pela pandemia, a Receita Federal, havia comunicado, no mês de julho, que micro e pequenas empresas inadimplentes com o Simples Nacional não seriam excluídas do regime em 2020.

Na ocasião, o Fisco atendeu um pedido do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e decidiu suspender o processo de notificação e de expulsão do regime como forma de ajudar os pequenos negócios.

Todavia, diversas pessoas relataram que receberam intimações de cobranças relativas a débitos de 2020.

A contadora Ana Laura Alonso, revela que a notificação chegou pela caixa postal dos clientes inadimplentes que são optantes do Simples Nacional.

“Quando fui fazer as apurações de outubro, me deparei com a intimação na caixa postal dos clientes. Todos receberam a notificação de exclusão caso os débitos não sejam colocados em dia”, conta.

Porém, a Receita Federal confirmou que a suspensão da exclusão está mantida.  “Neste ano, excepcionalmente, não haverá a exclusão do Simples Nacional por dívidas. Entretanto, a cobrança dos débitos continua normalmente com a emissão dos avisos de cobrança”, afirmou o Órgão em nota.

Sobre a exclusão do regime tributário Simples Nacional:

No último ano, mais de 730 mil empresas foram notificadas para exclusão do Simples devido aos débitos tributários. Desse montante, aproximadamente 224 mil pagaram os débitos e 596 mil empresas acabaram sendo retiradas do regime.

Segundo informações do Sebrae, a manutenção das empresas no Simples Nacional, regime que unifica a cobrança de tributos federais, estaduais e municipais num único boleto, representa uma ação importante para impulsionar a recuperação dos negócios de menor porte, que tiveram prejuízos com a paralisação das atividades.

De acordo com levantamento realizado pelo Sebrae e a Fundação Getulio Vargas (FGV), o percentual de perda média do faturamento chegou a 70% na primeira semana de abril. Foram ouvidos 6.470 proprietários de negócios em todo o país, entre microempreendedores individuais, micro empresas e empresas de pequeno porte.

Fonte: Contábeis


Redação Grupo Studio