RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioBanana StartupsEntenda como a quarentena pode alavancar as startups de logística

Entenda como a quarentena pode alavancar as startups de logística

Ao falar em startup, é comum que as pessoas imaginem uma empresa moderna, com funcionários jovens e um ambiente descontraído, porém, nem sempre as empresas de startup são dessa forma.

Startup é um modelo de negócio novo no Brasil, o termo começou a se popularizar no país em meados de 2008 e só tem crescido. Esse modelo é baseado em uma gestão repetível e escalável que trabalha especialmente sob condições de incerteza. 

Em outras palavras, uma Startup é um modelo de negócios que vem crescendo justamente pela sua facilidade no desenvolvimento de soluções, fornecendo rapidez e menor custo. Para um país que se encontra em um cenário econômico de incerteza, ainda mais com uma nova crise gerada pela Covid-19, as startups podem ganhar ainda mais força. 

Esse é o caso das startups de logística. Com as medidas de isolamento social adotadas para o combate à pandemia, as vendas de mercado, farmácia e até de itens pessoais passaram a ser realizadas pela internet.

Segundo dados do Compre&Confie, empresa que trabalha com inteligência de mercado, o e-commerce no Brasil registrou crescimento expressivo no primeiro trimestre deste ano. Devido a pandemia de Covid-19, o número de compras online teve um salto de 49,8 milhões, ou seja, 32,6% maior que no mesmo período do ano passado.  

Para atender à demanda de tantas entregas a serem realizadas, startups de logística foram obrigadas a se adequar a essa nova realidade, o que vem registrando maior crescimento no setor durante esse período. 

A startup de logística Eu Entrego viu um aumento cinco vezes maior que o habitual em pedidos de supermercados e mercearias. Atualmente, a Eu Entrego trabalha com cerca de 80.000 entregadores cadastrados, que estão tendo que trabalhar em um regime de escala para atender a demanda. 

De acordo com o CEO da Carguero, outra empresa que atua no setor, não foram sentidos impactos negativos por conta da crise do coronavírus, mesmo com 100% dos funcionários atuando em home office. A empresa, portanto, teve que aumentar o seu quadro de funcionários, para dar conta de realizar as entregas.

Já para a Intelipost, empresa de tecnologia e soluções de logística, o aumento observado nas entregas foi de até 10%, com variação dependendo do setor. Mas uma das mudanças que puderam ser notadas foi a redução de problemas na entrega devido ao cliente estar ausente no momento da realização.

Mas afinal, o que realmente são as Startups de Logística?

Como dito anteriormente, startup é um modelo de negócio criado para fornecer serviços de maneira mais rápida e com menor custo. Na logística, isso não poderia ser diferente. Com o crescimento das lojas online e o aumento na demanda de entregas, as startups que atendem o setor de entregas tinham tudo para crescer e se multiplicar. 

A Frete Rápido é uma startup de logística criada em 2015 que passou a fazer parte da TegUp, relacionada a Tegma Gestão logística. A meta era cuidar de todas as etapas do processo de venda, desde a pré-venda, até o pós-venda, emissão de nota fiscal e entrega.

A Melhor Envio é outra plataforma gratuita que desburocratiza o acesso a fretes mais baratos no last mile, possibilitando aos e-commerces acesso aos preços dos fretes nos correios e de outras transportadoras no país. 

Dentro dessa plataforma é possível acompanhar todo o processo de entrega e abrir até um processo de indenização em caso de a encomenda ser extraviada. 

Além das empresas já citadas, a Shippify é outra startup de gestão logística que atende empresas e corporações através de uma comunidade colaborativa de motociclistas, ciclistas e motoristas. 

A empresa atua por meio de um aplicativo e conta com diversos motoristas nas ruas que buscam os produtos e conseguem otimizar uma cadeia de suprimentos até que a encomenda chegue ao cliente. 


Leia mais:

Assista também:


Redação Grupo Studio