RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio FiscalDocumentos fiscais: por quanto tempo guardar?

Documentos fiscais: por quanto tempo guardar?

Documentos fiscais: por quanto tempo guardar?

No Brasil, vigoram várias legislações que versam sobre prazos de preservação de documentos fiscais. Dentre elas, o Código Tributário Nacional (Lei 5.172/66), a Lei 9.450/96 e o Decreto-lei 486/1969.

Com base nesses e em outros instrumentos legais, preparamos este post para resumir o tema e orientar a liderança de empresas de todos os segmentos a respeito dos principais prazos e informações fiscais de competência federal, estadual e municipal. Acompanhe!

 

A importância de guardar documentos fiscais

O objetivo principal de guardar esses documentos é comprovar a legitimidade das atividades comerciais do contribuinte pessoa jurídica perante os órgãos administrativos do Estado.

Em caso de fiscalização, informações incompletas ou mesmo indisponibilidade de documentos pode trazer problemas à organização que for autuada — como processos administrativos e pagamento de multas.

As informações devem ser arquivadas em ordem cronológica e separadas por período (mês, trimestre ou ano). A seguir os principais tipos de documentos que devem ser guardados:

  • notas de compra e de venda (produtos e serviços);
  • extratos bancários e duplicatas pagas;
  • comprovantes de custos e despesas;
  • cópias de cheques;
  • comprovantes de débitos e de créditos bancários.

A preservação de cada documento fiscal é obrigatória durante o período mínimo exigido pela lei, ou seja, enquanto não expirarem os respectivos prazos decadencial e prescricional.

 

O prazo de decadência

Em geral, esse prazo é de cinco anos e representa o período legal que o poder público tem disponível para solicitar a apresentação de documentos fiscais ao contribuinte.

O prazo da contagem da decadência inicia no momento do lançamento do débito, isto é, quando ele é emitido pelo fisco (ou reconhecido por outros meios, antes mesmo da emissão).

 

O prazo de prescrição

Diz respeito ao tempo que a autoridade estatal, a partir da data de reconhecimento do tributo, tem para promover a cobrança judicial de eventuais créditos tributários contra o contribuinte.

Em outras palavras, o prazo de prescrição determina o tempo para extinção de uma dívida tributária da empresa com o fisco — o tempo para que cada documento fiscal prescreva varia conforme a legislação pertinente.

 

O período obrigatório de guarda dos principais documentos

A título de exemplo, elencamos aqui apenas alguns dos principais documentos fiscais de competência federal, estadual e municipal, bem como suas esferas de vigência e respectivos prazos legais para preservação.

 

Competência federal, esfera comercial e fiscal, prazo 5 anos

  • comprovantes da escrituração (notas fiscais e recibos);
  • Declaração de Compensação de Tributos (PER/DCOMP);
  • Declaração Integrada de Informações Econômico-Fiscal Pessoa Jurídica (DIPJ);
  • Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF);
  • Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF).

Prazo indeterminado

  • livros e documentos pertinentes a ações judiciais ou administrativas;

Prazo 8 anos

  • sociedades anônimas S/A (títulos ou contratos de investimento coletivo);

Prazo 20 anos

  • novação mercantil;
  • pagamentos mercantis;
  • títulos de capitalização (documentos originais);

 

Competência estadual, esfera fiscal, prazo 5 anos

  • carnê de recolhimento (ME e EPP) anterior regime de estimativa;
  • documentos fiscais e formulários não emitidos (ME e EPP).
  • livro de registro de entradas e de saídas.
  • livro de registros de apuração do IPI.

 

Competência municipal, esfera fiscal, prazo 5 anos

Livros de registros de:

  • notas fiscais de serviços prestados;
  • recebimento de impressos fiscais e termos de ocorrências;
  • impressão de documentos fiscais.

Caso a empresa perca algum documento fiscal, ela deve se respaldar declarando o extravio — em um jornal de grande tiragem, por exemplo — e, simultaneamente, comunicando à Receita Federal, à junta comercial, à prefeitura ou outro órgão responsável, como a Delegacia Regional do Trabalho.

 

A melhor solução para uma gestão simplificada de tributos

Para simplificar a rotina fiscal de empresas de todos os portes e torná-las ainda mais competitivas, o Grupo Studio Fiscal disponibilizou a ferramenta RTPRIME, um dos mais modernos sistemas de acompanhamento mensal de pagamento de impostos, capaz de agilizar o trabalho de profissionais da contabilidade e facilitar a gestão de empreendedores de todos os setores.

Mesmo sem substituir a guarda de documentos fiscais, essa solução tecnológica faz cálculos e projeções precisas, enquanto monitora todos os tributos diretos e indiretos da organização.

Além disso, usuários do RTPRIME dispõem de suporte técnico exclusivo, com consultoria tributária permanente por telefone, treinamentos presenciais e a distância (com certificado) e fórum de discussões tributárias — o que torna esse software um dos mais completos do mercado.

Como se pode perceber, porque a gestão de documentos fiscais é obrigatória, ela também se torna estratégica para todas as empresas. Portanto, assine agora nossa newsletter para se manter atualizado sobre os temas mais quentes relacionados à gestão tributária da sua organização!

 

 


Redação Grupo Studio