RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio FiscalDescubra como usar o autofinanciamento em favor do seu negócio!

Descubra como usar o autofinanciamento em favor do seu negócio!

Descubra como usar o autofinanciamento em favor do seu negócio!

O autofinanciamento, termo em grande evidência no mundo do empreendedorismo, é viabilizado pelos recursos da empresa, originados em sua própria atividade comercial, e que não foram distribuídos ou repartidos entre os sócios ou proprietários.

Uma vez obtido o resultado do exercício e remunerados os agentes econômicos que participam do processo produtivo, o restante permanecerá livremente à disposição da organização. Com esses recursos, a empresa pode financiar investimentos sem recorrer a empréstimos externos e, consequentemente, endividar-se.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, as principais informações acerca do autofinanciamento, a fim de ajudar sua organização a se beneficiar dessa excelente alternativa. Confira:

 

Qual a relação entre autofinanciamento e bootstrapping?

O conceito de bootstrapping está fortemente relacionado às startups que iniciam seus empreendimentos sem nenhuma forma de financiamento externo, buscando recursos, como é comum nesse modelo de negócio, junto aos investidores-anjo e aceleradoras.

Diferenças

Para muitos empreendedores, as dificuldades em tocar os negócios com o bootstrapping são consideravelmente maiores. Afinal, a maioria dos jovens empresários que se lançam ao mercado recorrendo a essa alternativa não possuem grandes habilidades de controle financeiro e de gestão, o que se torna ainda mais grave diante da necessidade de “começar do zero”.

Semelhanças

Em ambos os casos não é necessário obter aprovação externa às suas iniciativas, o que pode ser uma vantagem devido à independência e boa solvência financeira que isso implica.

Com um custo claramente menor do que outras fontes de financiamento, essas soluções tendem a produzir maior rentabilidade, reduzindo despesas financeiras, bancárias, administrativas e tributárias.

Além disso, por não ser necessário prestar contas a um investidor, não há tanta cobrança em garantir que os retornos financeiros aconteçam em um período específico, ampliando, ainda mais, a liberdade de ação dos gestores e líderes empresariais.

 

 

Quando é o melhor momento para considerar o autofinanciamento?

As necessidades de cada empresa podem variar sensivelmente, dependendo das especificidades de seus processos e das características gerais do segmento de atuação.

Todavia, de modo geral, dois tipos de autofinanciamento podem ser definidos, do ponto de vista de seus objetivos estratégicos:

  • manutenção: constituído pelos recursos que se destinam à manutenção da capacidade produtiva e da estrutura empresarial, envolvendo, por exemplo, amortizações e dotações para as perdas por deterioração;
  • capitalização: é aquele que se refere aos lucros que não são distribuídos aos acionistas e/ou proprietários, isto é, que passa a integrar as reservas da empresa.

 

Qual modelo de autofinanciamento adotar em sua empresa?

Para ser capaz de se autofinanciar, a empresa, obviamente, necessita de recursos. Uma vez que há diversas formas e possibilidades para usar o autofinanciamento, é natural que muitos diretores financeiros encontrem certa dificuldade em identificar o formato que melhor se ajuste à sua realidade corporativa.

Para auxiliar você a escolher a alternativa ideal, elencamos, a seguir, 3 modelos capazes de oferecer excelentes soluções para organizações dos mais diferentes tipos. Confira:

Modelo de escassez

Esse modelo tem sido empregado para motivar o cliente a comprar e pagar imediatamente, sob o risco de perder uma chance que não se repetirá. A tática é especialmente útil para a captação de recursos para autofinanciamento no varejo, no qual muitas lojas conseguem pagar os fornecedores após receber de seus clientes.

Modelo de assinatura

O cliente se empenha em adquirir um produto ou contratar um serviço que será entregue repetidamente durante um longo período. Essa fórmula de autofinanciamento pelos clientes sempre foi aplicada por revistas e bens culturais. A novidade, nesse caso, é que está sendo estendida para outras áreas, tais como lâminas de barbear, roupas íntimas, cardápios ecológicos, bebidas etc.

Modelo de pagamento adiantado

O pagamento adiantado é um modelo que tem mais adotado entre os profissionais liberais, como consultores e advogados. Trata-se de um sistema bem pensado e lógico: a maneira mais simples de obter clientes que financiam suas despesas é receber antecipadamente uma parte ou, pelo menos, as despesas que serão incorridas para atendê-los.

Ressalte-se, por fim, que as empresas diferem muito umas das outras em termos de sua situação financeira, de modo que recorrer ao autofinanciamento não é uma questão simples. Logo, deve ser alvo de um profundo estudo do departamento financeiro, a fim de obter a melhor solução para as especificidades de cada negócio.

Gostou do artigo? Então, assine a nossa newsletter e mantenha-se sempre atualizado!


Redação Grupo Studio